Skip to main content

Procurar

Em destaque: SIR ARRENDAMENTO - novas métricas para o novo mercado

21 de Outubro de 2011

No Algarve o tempo médio de absorção dos alojamentos da base de dados SIR –Sistema de Informação Residencial manteve-se nos 17 meses entre o 1.º e o 3.º trimestre de 2010, tendo aumentado no 4.º trimestre para 21 meses, uma tendência verificada quer no segmento de fogos novos quer no de usados. Ao longo dos 3 primeiros trimestres de 2010, o tempo médio de absorção para os fogos novos situou-se, em média, nos 19 meses, tendo aumentado 4 meses no 4.º trimestre desse ano, atingindo 23 meses. Para os fogos usados o tempo médio de absorção apresentou-se mais reduzido, situando-se, em média, entre o 1.º e o 3.º trimestre de 2010, nos 14 meses, tendo aumentado para 16 meses nos últimos 3 meses do ano.

Veja aqui o press release

A base de dados do SIR – Sistema de Informação Residencial relativa ao Algarve continha uma amostra de fogos em oferta para venda que, em 2010, ascendia a 14.056 unidades, dividindo-se entre os segmentos de fogos novos e usados. Nesse período, o valor médio de oferta registado pela pool SIR no Algarve cifrou-se em 2.310 €/m2 para os fogos novos, 8,0% acima do valor médio de oferta de 2.134 €/m2 verificado ao nível regional. No caso dos fogos usados o valor médio de oferta mostrou-se mais baixo, atingindo 1.703 €/m2.

No decurso de 2011, a pool SIR registou a venda de 829 fogos no Algarve a um preço médio por m2 de 1.801€. Para os fogos novos, o preço médio de venda atingiu os 1.922€/m2, enquanto para os fogos usados este situou-se em 1.373 €/m2, com o prémio entre os mercados de novos e usados a cifrar-se em 17%. Mais de metade das transações reportadas realizaram-se nos concelhos de Loulé e Albufeira, nomeadamente 35% e 19% do total das vendas de habitações em 2010, respetivamente.

No que se refere à revisão das tabelas de preços, a tendência ao longo de 2011 foi a revisão em baixa quer para os fogos novos quer para os usados. No caso dos fogos novos verificou-se, no 4.º trimestre de 2010, uma clara melhoria da taxa de revisão (cifrou-se em -5%) face ao trimestre anterior (-10%), levando o indicador a níveis mais próximos dos observados nos primeiros trimestres de 2010 (-3%). Para os fogos usados o comportamento da taxa de revisão foi diferente. Mantendo-se em torno dos -7% até ao 3o trimestre de 2010, no 4.º trimestre a taxa de revisão agravou-se para -9%.

# ENDS #

Sobre a Confidencial Imobiliário
A Confidencial Imobiliário é uma entidade especializada na produção de estatísticas sobre o mercado residencial. Um dos seus patrimónios é o Índice Confidencial Imobiliário, que conta com uma série de mais de 20 anos, sendo a medida para acompanhar a valorização do mercado habitacional português. A sua credibilidade e independência fazem com que esse índice seja usado e referenciado por entidades como o Banco Central Europeu, o Banco de Portugal e os Ministérios da Economia e das Finanças, para além do sector financeiro, promotores e meio universitário. Na vertente editorial, desde 2006 integra o Grupo Editorial Vida Económica, acentuando o seu perfil enquanto revista técnica, contando com análises estatísticas própria e conteúdos de parceiros de entidades de prestígio como a Abreu Advogados, o IPD – Investment Property Databank, o ISEG – Instituto Superior de Economia e Gestão, a PricewaterhouseCoopers, o RICS – Royal Institution of Chartered Surveyors e a ULI – Urban Land Institute.

Ci SIR – O SIR – Sistema de Informação Residencial beneficia do levantamento de dados de oferta e vendas, directamente dos operadores, onde se incluem promotores, mediadores e avaliadores imobiliários. O sistema permite o desenvolvimento de análises sobre vendas, com preços reais de mercado, contando actualmente com uma pool de aproximadamente 90 empresas e com estatísticas para os mercados das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, e, mais recentemente, para o Algarve. A pool SIR integra:

Empresas de Promoção Imobiliária / Proprietárias: Assimec; Banco Santander Totta; Banif Imobiliária; BASCOL II; BES; Bouygues Imobiliária; Chamartin Imobiliária; Civilria; Douro Atlântico; Edifer Imobiliária; Ediplano; Empril; Entreposto Gestão Imobiliária; ESAF SGFII; GrupoLar; Habiserve; Imocaixa; Imodávila; Inland; Joaquim Ferreira dos Santos; John Neild & Associados; Libertas; Losafoz; Mota_Engil; Opway; Planbelas; Praedium II; RAR Imobiliária; SGAL; Somague Imobiliária; STDM; SRU Porto Vivo; Teixeira Duarte; Templo; Vale do Lobo; WhiteStar.
Empresas de Mediação: Abacus Savills; Abra SMI; Alrisa; António Azevedo Coutinho; Arcada Dourada; Base Central - Rede Comprar Casa; Bertin Picanço; Casa Latina; Casa’Caso; CB Richard Ellis; Century 21; CGR; Chave Douro; Cobertura; Consultan; Engel & Volkers; Espírito Santo - Mediação Imobiliária; Famiprédi; Fita Métrica; Frames; Garvetur; Imohifen; Invista; IRG - International Realty Group; Jobergo; Jones Lang Lasalle (Portugal); Lammi; Medescolha; Novimed; Preditur; Remax – Braga; Remax Capital; Remax Matosinhos; Remax Sinergia; Réplica Gold; Silfiducia; Sogeu-SMI; Verticus; Vilafarus; Villas Pt.
Empresas de Avaliação: ATGM; Benege; Cerat; Colliers P&I; CPU; Garen; Luso-Roux;