Skip to main content

[email protected]

Em destaque:
PRÉMIO ANDRÉ JORDAN 2016 - 12/Outubro - Museu de Arte Antiga

10 de Setembro de 2016

O mais recente Portuguese Housing Market Survey (PHMS), inquérito mensal produzido pelo RICS e pela Confidencial Imobiliário (Ci), revela que os mediadores e promotores imobiliários têm expectativas positivas quanto à evolução do preço das casas em Portugal.

Press Release completo aqui – divulgado a 08.jan.16

Os resultados de novembro deste survey mostram que os inquiridos antecipam que, ao longo dos próximos cinco anos, os preços das casas aumentem, em média, cerca de 4% por ano. As expectativas são sustentadas pela recuperação da atividade no mercado de compra e venda, que continuou a recuperar a um ritmo constante em novembro.

“As expectativas permanecem positivas para a maioria dos agentes que participam no PHMS, especialmente por parte dos mediadores que atuam junto de investidores internacionais”, começa por explicar Ricardo Guimarães, diretor da Ci, acrescentando que “mesmo com a incerteza que as recentes alterações políticas acabaram por aportar, há diversos fatores positivos que dão sustentação às tendências positivas quer nos preços quer na procura”.

Para Simon Rubinsohn, Economista Sénior do RICS, “o crescimento do emprego, a descida das taxas de juro para o crédito à habitação e o crescimento da procura por crédito estão entre os fundamentos que sustentam a continuidade da tendência de melhoria no mercado de compra e venda de habitação”.

De acordo com o inquérito de novembro, a procura, medida pela novas instruções de compra, continuou a crescer, ainda que a um ritmo ligeiramente mais moderado. Também as vendas cresceram a um ritmo sólido e as expectativas são para que o volume transacionado continue a crescer. O PHMS destaca ainda que o crescimento da procura se mantém superior ao crescimento da oferta, o que tem sustentado a tendência de recuperação dos preços, embora também a um ritmo menos acelerado nos últimos meses.

No mercado de arrendamento, a procura também continuou a crescer em novembro, de acordo com o PHMS, enquanto a oferta de casas para arrendar caiu uma vez mais. Esta relação entre as duas forças, tem levado a uma ligeira recuperação das rendas, que se mantém há já sete meses ininterruptos. Quanto às expectativas para as rendas, apontam para que o seu crescimento acelere nos próximos meses, mesmo que ligeiramente.

- final -
NOTA aos Editores:
Portuguese Housing Market Survey
O Portuguese Housing Market Survey (PHMS) é um inquérito mensal realizado em parceria entre a Ci - Confidencial Imobiliário e o RICS, contando com os apoios da ADENE, INCI, Caixa Geral de Depósitos e Millennium bcp. O seu objectivo é dotar o mercado residencial português de um de Índice de Confiança e de Expectativas, preenchendo a actual lacuna no acervo estatístico sobre esse sector. Este inquérito assenta num painel de empresas de promoção e mediação imobiliária e cobre as regiões metropolitanas de Lisboa, do Porto e do Algarve. O PHMS encontra paralelismo com outros inquéritos que o RICS realiza noutros países, pelo que gerará resultados comparáveis internacionalmente.

Sobre a Confidencial Imobiliário
A Ci - Confidencial Imobiliário é uma empresa independente, orientada para a satisfação das necessidades de informação dos profissionais do mercado imobiliário, no contexto da tomada de decisão quanto a investimentos e estratégias de venda. É especializada na produção e difusão de indicadores de análise do mercado, detendo índices e bases de dados exclusivas sobre a oferta e vendas de fogos, com detalhe à freguesia. Do seu acervo destaca-se o Índice de Preços Ci que é a mais antiga série sobre imobiliário em Portugal, com mais de 25 anos. Este índice mede a valorização dos imóveis residenciais. A credibilidade e independência dos dados da Ci fazem com que sejam referenciado por entidades como o Banco Central Europeu, o Banco de Portugal e o Governo Português, para além de todo o sistema financeiro português. Mais informações em www.confidencialimobiliario.com.

Sobre o Royal Institution of Chartered Surveyors
O RICS é a principal organização mundial que confere qualificação aos profissionais que trabalham na avaliação, mediação e gestão em todo o ciclo do imobiliário e da construção. Num mundo em que governos, instituições financeiras e empresas exigem uma maior certeza acerca de normas profissionais e éticas, atingir o status RICS é a marca do reconhecimento do profissionalismo na atividade imobiliária. Mais de 100.000 profissionais que trabalham nas principais economias estabelecidas e emergentes do mundo reconheceram já a importância de assegurar a qualificação RICS. O RICS desempenha também um importante papel regulador, tanto dos seus membros individuais como de empresas, assegurando os mais elevados padrões e a base de confiança para os clientes no sector.

Notas técnicas

Número total de empresas no painel: 150

Ajustamento de sazonalidade:
Os dados não têm ajustamento de sazonalidade.

Questões colocadas:
1. Número de casas vendidas nos últimos três meses (contratos-pro¬messa)? - Número
2. Número de casas cuja venda está em negociação? - Número
3. Evolução dos preços residenciais nos últimos três meses? – Saldo de Respostas
4. No mês anterior, variação do número de vendas em negociação? – Saldo de Respostas
5. No último mês, evolução do número de consultas por novos clientes? – Saldo de Respostas
6. No último mês, evolução do número de novas angariações? – Saldo de Respostas
7. Expectativas de variação dos preços das casas nos próximos três meses? – Saldo de Respostas
8. Expectativas de variação do número de vendas de casas nos próxi¬mos três meses? – Saldo de Respostas

Saldos de Respostas Extremas:
• Saldo de Respostas Extremas = proporção de inquiridos que reportam uma subida menos a proporção daqueles que reportam uma queda (se 30% reportam uma subida e 5% uma queda o saldo de resposta (não ponderado) será de 25%).
• Os dados do saldo de respostas são baseados em opiniões; não quantifi¬cam mudanças efectivas numa variável que lhes esteja associada.
• Os resultados do saldo de respostas podem variar entre -100 e +100.
• Um saldo de respostas positivo implica que mais respondentes estão a verificar aumentos em vez de diminuições (na variável subjacente). Um saldo de respostas negativo implica que mais respondentes veri¬ficam diminuições em vez de aumentos e um saldo de respostas nulo implica que um igual número de respondentes verifique aumentos e diminuições.
• Assim, uma leitura de -100 implica que os respondentes não verificam aumentos (ou alterações), e uma leitura de +100 implica que os res¬pondentes não verificam diminuições (ou alterações).
• No caso do saldo de respostas alusivo a preços, uma leitura de +10 não deve ser interpretada como se o PHMS afirmasse que o preço das casas está a subir na ordem dos 10%, mas que mais 10% dos inquiridos reportaram aumentos de preços em vez de diminuições (ao longo dos três últimos meses).
• Uma alteração de +30% para +60% não significa que a variável tenha crescido em 30% num período e em 60% no período seguinte, mas tal indica que o dobro dos inquiridos reportou um aumento em vez de uma diminuição relativamente ao período anterior.
• Da mesma forma, se for verificada uma baixa de +90% para +5%, tal continua a significar que existem, em geral, mais respondentes a reportar aumentos que diminuições, apesar da amplitude desses aumentos reportados ter caído dramaticamente; entretanto, uma alteração na leitura de -90% para -5% continua a significar que, de forma geral, mais respondentes se encontram a reportar diminuições em vez de aumentos, apesar da amplitude dessas diminuições reportadas ter caído dramaticamente.

Contactos:
Ci – Ricardo Guimarães,
RICS – Eulália Pensado,